Meus cantos…

17 08 2009

…e recantos

Tem dias que penso que o mundo é o que é apenas porque eu existo. Não que eu seja peça importante para o que o mundo é hoje, mas sim por sentir o mundo, seja ele inteiro ou apenas aquele que está ao meu redor.

Tive uma visão, ou melhor, uma percepção um pouco mais real do que eu sou, caí em mim. Não sou o que eu achava que eu era, simplesmente não foi o meu redor que mudou, fui eu. Sinceramente, continuo sendo eu mesmo, mesmo tendo mudado caso isso seja realmente verdade.

Quantos de nós não acordamos do nada para o que nos acontece? Quantos de nós nem se da conta do que está ao nosso redor? Quais das duas coisas é mais grave? Qual a diferença entre elas?

Para mim pouco importa agora, estou na minha caverna onde posso me dar o luxo de estar trancado fazendo o que eu bem entenda. Ter os desprazeres e desventuras que ninguém mais poderia ter. Aproveito meus tempos de ócio , que apesar de serem raros, são criativos.

Post Scriptum: “Morra a sua vida por si só. Viver a própria vida já não é conselho que se dê”