A patota da patota…

7 10 2008

… eu tô começando é caindo fora.

Tem patota pra todo lado. E todo mundo é igual mesmo, e ai de quem conseguir me provar o contrário. Enquanto os nossos interesses são respeitados somos apenas sorrisos, depois disso, eu tô certo e você não serve pra mim!!!

Ouvi tem algum tempo atrás que quando a discussão chega ao ponto de “FEIO, CHATO e BOBO” ela não tem mais volta… Acabou mesmo!

A patota está cada dia aumentando, e o ego inflado de algumas pessoas se mantém lá em cima. Bem lá em cima mesmo… Ao contrário do Tio Guto que queria ser, até pouco tempo atrás, pelo menos a Luz do poste da rua de cima (que ninguém passa) tem gente se achando Vega (uma das estrelas mais brilhantes).

Não sou de entrar em méritos… mas vale afirmar que eu não bato em ninguém… apenas devolvo.

Post Scriptum: “Brilha Brilha estrelinha…”





Sabe de uma coisa…

28 09 2008

… isso é apenas uma parte do meu eu.

São tantas as coisas que todos nós somos. Não vou nem contabilizar as tantas outras pessoas que cada um de nós aceitamos ser… sou obrigado a plagiar Raul Seixas e dizer que sou sim uma “metamorfose ambulante”, e adoro isso. Nada melhor do que saber que estou sempre me adaptando ao mundo ao meu redo ao invés de julgar e culpar o “mundo” pela minha falta de adaptação.

Mudar é dificil… eu descobri e ensinava que as pessoas não mudam, se revelam. Ainda acredito nisso, acredito também que as coisas devem ser do jeito que são e os incomodados que se mudem. Simples assim…

Ainda aproveitando para plagiar gosto do pensamento de Sartre onde ele afirma que a mudança é necessária para que ele continue sendo a mesma pessoa. Acredito que sou um exemplo do que Sartre diz… mas não mudo em minha essência… e por isso sou obirgado a mudar ou aceitar todo o resto. Não mudo… afinal de contas meu jeito é não ter jeito. Como a Srta. Melero diria “Guto, o sofista mais contraditório”.

Sim… sou Eu… cada um dos meus Eus… esse é apenas um deles…