Quando não vivem o que fala…

12 09 2009

…e dizemos que sim.

Muitos de nós somos obrigados a viver de pura e simples demagogia e hipocrisia. Tento ao extremo viver longe disso e adoro encontrar pessoas que fingem muito bem não viverem disso. Não é simples viver “tentando”, penso que está na hora de viver um pouco no mundo de todos para tentar entender essa demagogia e hipocrisia.

Eu tinha começado a escrever às 4:20 da manhã de hoje, agora são 17:25, depois de alguns acontecimentos que me fizeram ficar acordado até agora, decidi repensar e mesmo assim não retirar o que eu disse. Para concluir vou deixar o que simplesmente me passa agora com mais de 30 horas sem dormir:

– Escolher o que queremos na nossa vida, e principalmente quem queremos, não pode incluir só partes boas e as pessoas definitivamente não sabem conviver com isso.

– Ser demagogo e hipócrita é difícil, não ser é mais difícil ainda (pra mim, por mais que as pessoas possam achar o contrário). Talvez por isso eu deveria me reservar mais ao silêncio.

– Gostar de alguém que você mal conhece, e se dedicar a essas pessoas de cara, pode ser extremamente incômodo, pode até se tornar uma dor, ainda mais quando já se sabe que “depois que tudo está certo, o errado sempre sou eu e tchau tchau”.

– “O errado sempre sou eu”, e aprendi a gostar disso!

Post Scriptum: “e que tal viver no meu mundinho inexplicável?”[2]

Anúncios




Vivendo o…

11 09 2009

…inexplicável

bomb Há alguns posts atrás tentei explicar o inexplicável. Agora nem vivo mais, na verdade agora vivo a felicidade de as coisas estarem em outro pé. Assim como o inexplicável. A vivência me deu o prazer de poder conviver cada vez mais com coisas que a “vã filosofia” não é capaz de explicar. Uma dessas coisas é o próprio fato de estar atualizando o blog com certa freqüência.

Tenho minhas inspirações, um tanto quanto inexplicáveis, para o que me inspira a escrever. Sempre está relacionado a pessoas, às vezes que eu convivo às vezes com pessoas que eu gostaria de conviver. Sendo assim, hoje por coincidência, estou vivendo as duas coisas ao mesmo tempo.

Até quando os humanos vão tentar compreender um ao outro? Até onde ainda vamos ter de precisar de motivos e até mesmo desculpas para fazer algo? O que seria de nós (humanos) se vivêssemos um pouco mais na inconstância?

Post Scriptum: “e que tal viver no meu mundinho inexplicável?”





Sobre…

1 08 2009

…a verdade

verdade-mentira O que chamamos de verdade nada mais é do que um posicionamento sobre determinado assunto. Para que algo seja aceito como verdade é necessário que este posicionamento seja aceito por mais de uma pessoa. A verdade por ser apenas uma convenção sobre algo não pode possuir donos. A verdade quando começa a existir é passível de mutações e aperfeiçoamentos, justamente por conta disso ela pode ser, em diferentes pontos de uma linha cronológica, contradizente a si mesma.

Ao mesmo tempo que a verdade é o posicionamento coletivo sobre determinado assunto, chamamos de mentira tudo o que não for convencionado a ser verdade sobre os mesmos termos. A verdade por si só é excludente, sendo uma única verdade contra várias mentiras quando vista apenas por um grupo.

Invariavelmente, apenas se diferenciando os coletivos, podemos dizer que há várias verdades sobre o mesmo assunto, e por si poucas mentiras. A mentira em si não pode ser considerado o antônimo de verdade, pois a mesma não necessariamente tem o sentido oposto e sim tudo o que é diferente.

Post Scriptum: “se isso é verdade ou mentira até eu estou em dúvida”